Cometas em chamas, meteoros atravessando a atmosfera terrestre e acidentes aéreos são fenômenos diferentes, mas na noite do céu eles são todos iguais. Estrela cadente. Cada uma é um satélite em colapso (meu amor), então todo pedido que eu faço no escuro já vem queimando numa máquina ou num astro a segundos de não existir mais.

Peço noites de sonho bom e dias de cavalo selvagem. Sonos tranquilos e manhãs sem focinheira. Peço pra arrancar minha ferradura com o dente e correr em direção ao final desse ano, longe, até a beira do precipício onde vamos apoiar nossas patinhas. 2017 na última fronteira de nós.

Peço por você e por mim, em pedidos para o Deus estelar das estações espaciais explodidas e das aeronaves assassinas. Formulo os meus desejos de uma liberdade eqüina para as partículas galácticas incendiárias que logo, quem sabe, vão nos extinguir que nem aconteceu com os dinossauros.

Que liberdade só é boa assim, quando risca no céu e apaga tudo aquilo que já não cabe.

Seja bem-vindo a este blog.