Novena para pecar em paz

Manual de mergulho

Acordei com saudade de neve e de outras coisas que eu não conheço direito. Neste apartamento que fica a cinco mil quilômetros de distância do seu tem minha perna ocupando a cama, o lado de fora da janela funcionando, e eu fecho o olho enquanto estico o músculo da coxa. Sola do pé tornozelo tendão tíbia joelho fêmur nadadeira de uma baleia azul que cruza pelo ombro esquerdo, água salgada a minha língua nas suas vias lacrimais. A Novena é uma coleção de contos inéditos de autoras contemporâneas de Brasília. Foi publicado pela editora Penalux (RJ) em outubro de 2017 com textos sobre a experiência de ser no corpo feminino. A ilustração da capa é minha, e estou lá dentro com “Manual de Mergulho” – um trechinho dele está aqui em cima. O prefácio é de Natália Borges Polesso, e minhas acompanhantes na escrita são Beatriz Leal Craveiro, Cinthia Kriemler (org.), Lisa Alves, Lívia Milanez, Mariana Amélia Elói, Patrícia Colmenero, Paulliny Gualberto Tort e Rosângela Vieira Rocha. Você encontra o livro no site da editora Penalux. Reações da imprensa: Brasília na Mala, Hendrix War. E aqui embaixo, o booktrailer feito pela Molotov Produções :

Letters from the inside

Como quem anuncia que a rúcula da salada está misteriosamente estragada, ‘acabou’, , ponto final . Letters from the Inside é um diário aberto com textos e ilustrações publicados semanalmente ao longo de 2016. O primeiro post é de 4 de janeiro, quando eu completava um mês de Brasil depois de 5 anos morando em países diferentes do mundo. Naquele dia eu também marcava no calendário o aniversário de 10 dias de separação do companheiro com quem eu vivia na época. Criei o blog como um experimento artístico em tempo real: textos lá de dentro da experiência dolorosa, na procura do que a escrita podia mostrar. O último post foi publicado no dia 31 de dezembro, fechando uma série de ilustrações de mulheres sem cabeça – minhas deusas tibetanas Vajrayoginis, Chinamastas, minhas formas multiplicadas de mim. O ano acabou, meu diário permanece, em inglês e português, como registro e cicatriz da travessia:  www.lettersfromtheinside.com